5000onon

A “renúncia” do Tiririca

Resultado de imagem para Tiririca 
 Foto: Reprodução

É inacreditável que um deputado campeão de votos (1,3 milhão em 2010 e 1,6 milhão em 2014) tenha renunciado ao mandato em seu primeiro e último discurso na tribuna. Mas foi o que aconteceu e acabou não acontecendo com o palhaço Tiririca, sem que o seu gesto possa ser considerado, necessariamente, uma palhaçada.

Dizendo-se triste com o quer viu, Tiririca se disse também envergonhado, prometendo esquecer as brigas e olhar para o povo. É possível que o deputado tenha se sentido impotente para combater o que viu de errado, prometendo renúncia, um sacrifício próprio. Uma pergunta fica no ar: quanto o Tiririca ganhava como palhaço?

Tiririca criticou os colegas no tocante ao comparecimento às sessões, dizendo que dos 513 membros do poder apenas oito são assíduos, incluindo a sua pessoa, como palhaço de circo. Ele reconhece que não fez muita coisa, mas pelo menos fez o que era pago para fazer, estar presente e votar de acordo com o povo.

Tendo anunciado que não disputará a próxima eleição, Tiririca jogou para o seu público de forma dúbia. Mas ele pode se preparar para ser cortejado por candidatos a presidente da República em 2018. Talvez seja convidado até mesmo para compor uma chapa como vice. A estória da renúncia, publicada pela grande mídia, foi apenas uma encenação.

Ser intolerante é chato, gente

Escreveu o jornalista Cláudio Barros, no facebook, sob o título acima: “gosto de dar o exemplo de Irving Berlin aos intolerantes religiosos. Ele era russo, naturalizado norte-americano e judeu. Compôs uma das mais conhecidas canções de Natal, uma festa cristã. Era muito amigo de um cara negro chamado Sammy Davis Jr. que se converteu ao judaismo. Nesta leitura do clássico do judeu Berlin, tem-se o canadense Michael Bublé com uma cantora afroamericana e o conjunto vocal Naturally Seven - formado somente por homens negros”

Natal musical

“A música transforma vidas, alegra, incentiva, orgulha e está sempre presente”, afirmou Abiel Bonfim, superintendente da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, responsável pela organização da programação natalina para Teresina. Dessa forma, o Natal em Teresina será essencialmente musical, com vários grupos se apresentando em locais diferentes, devendo o encerramento acontecer com uma apresentação da Orquestra Sinfônica, no Parque da Cidadania. As apresentações vão de hoje (7) até o dia 25.

Feira literária

O deputado B. Sá falou ontem (6) sobre  a realização da Feira Literária de Oeiras (Flor). Trata-se da quinta edição do evento, que aconteceu no município entre os dias 1º e 3 do corrente. Este ano o homenageado foi o piauiense Cinéas Santos. Durante todo o ano letivo as escolas municipais passam a estudar as obras do autor homenageado, e no final de ano, na Feira Literária, acontece o ponto alto de toda a programação, com apresentações e a participação de todas as escolas”, disse B. Sá.

Tribunal popular do Juri popular

Virou moda as autoridades do Judiciário afirmarem que criminoso tal irá a júri popular. Basta um crime ficar devidamente esclarecido, sem qualquer dúvida sobre a autoria, e logo o promotor garante que o culpado vai a juri. É o que está acontecendo com o capitão PM Alisson Wattson, autor do assassinato da da própria namorada. O promotor de Justiça, João Mendes Benigno Filho, da 13ª promotoria criminal de Teresina, acredita que o suspeito será condenado ao fim do processo. "Não tem como sair dessa trilha de homicídio duplamente qualificado e vai ao Tribunal do Júri. Quem vai julgar é a sociedade, o Conselho de Sentença, que vai aplicar a pena”. Só que esse julgamento poderá demorar longos anos, como muitos que já deveriam ter ocorrido.

Tiririca é criticado

A “badalada” renúncia do Tiririca repercutiu nas redes sociais,embora sem nada que pudesse “endeusar” o parlamentar. O povo não vê o palhaço como um herói, da mesma forma que vê o ex-presidente Lula. Vejamos o que publicou José Freire, no facebook: “TIRIRICA anunciou sua aposentadoria um ano antes. Demorou quase oito anos para descobrir que no Congresso a maioria são ladrões. Em sete anos como deputado, nenhuma lei aprovada. Acovardou-se, deveria lutar contra isso. Abestado”.

Com gosto de gás


Quando nos propomos a uma ação corajosa costumamos dizer: vou botar com gosto de gás. Assim fizeram com o gás de cozinha e seus constantes aumentos de preço. De junho até aqui o preço do gás subiu 68%. Mas a Petrobras está decidida a rever sua própria política. Ainda não se definiu a nova fórmula, mas já foram fixados alguns parâmetros. Por exemplo, a correção do preço não deverá mais ser mensal. Com isso, evita-se a incorporação de aumentos de preços do gás no mercado internacional, sujeitos a grandes variações no curto prazo.

Cobrados pela sociedade


O presidente Temer confia na sociedade de forma estranha, diferentemente de como a sociedade confia nele. Disse o presidente, em jantar com parlamentares, que se eles não votarem a Previdência serão cobrados pela sociedade. Temer fala como se a sociedade estivesse torcendo por essa reforma da Previdência. Em mais esse jantar, líderes aproveitaram a presença de Temer para cobrar cargos e espaço no governo. Reclamaram que o governo não cumpre o que prometeu.

O humor de cada dia

O guarda manda o sujeito parar o carro. - Seus documentos, por favor. O senhor estava a 130km/h e a velocidade máxima nesta estrada é 100. - Não, seu guarda, eu estava a 100, com certeza. A sogra dele corrige: - Ah, Chico, que é isso! Você estava a 130 ou mais! O sujeito olha para a sogra com o rosto fervendo. - E sua lanterna direita não está funcionando, diz o guarda... - Minha lanterna? Nem sabia disso. Deve ter pifado na estrada... A sogra insiste: - Ah, Chico, que mentira! Você vem falando há semanas que precisa consertar a lanterna! O sujeito está fulo e faz sinal à sogra para ficar quieta. – E o guarda
insiste: O senhor está sem o cinto de segurança. - Mas eu estava com ele. Eu só tirei para pegar os documentos! - Ah, Chico, deixa disso! Você nunca usa o cinto! O sujeito não se contém e grita para a sogra: - CALA ESSA BOCA! O guarda se inclina e pergunta à senhora: - Ele sempre grita assim com a senhora? Ela responde: - Não, seu guarda. Só quando ele bebe.

Dê sua opinião: